Publication:

Pequenas Empresas Grandes Negocios - 2021-10-09

Data:

VEÍCULOS

TREINAMENTO E CURSOS

PATRÍCIA TRUDES DA VEIGA TEXTO

Tudo relacionado à mobilidade foi impactado pela pandemia, e o setor de veículos foi um dos que mais sentiram. Além do distanciamento social, que bateu forte no mercado de locação, a falta de componentes eletrônicos paralisou as montadoras, levando ao pior resultado de vendas desde 2016, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores. Até 2022, de acordo com Paulo Ancona Lopez, sócio da Ancona Consultoria, o mercado se valerá, em grande parte, mais dos automóveis que já rodam do que da renovação da frota. Enquanto a indústria se recupera e o consumidor se mantém reticente em comprometer seu orçamento com financiamentos de longo prazo, os cuidados com os usados devem movimentar as franquias de serviços automotivos, segundo Claudia Bittencourt, sócia-fundadora da consultoria Grupo Bittencourt. Com isso, tendem a ganhar espaço as que atuam com estética, manutenção e reparos. Microfranquias de lavagens, seguros, serviços de rastreamento e vistorias vêm se tornando uma opção de negócio bem atrativa “para quem não sonha com altos valores de pró-labore, mas que podem garantir o sustento”, na avaliação de Ancona Lopez. Diferenciais como atendimento em casa e serviços de leva e traz podem ser explorados para atrair quem permanece em home office. Para buscar novos clientes, estratégias como abordagem digital, oferecendo vouchers de descontos e benefícios para aquisição de pacotes, são eficientes, assim como parcerias com seguradoras, condomínios, estacionamentos e hipermercados. FIQUE DE OLHO O foco, agora, deve ser resolver a dor do consumidor e não só oferecer um produto ou serviço. “Não é a lavagem do carro, mas um ambiente limpo e seguro para a mobilidade da família. Não é o aluguel do automóvel, mas a possibilidade de usá-lo sem se preocupar com questões como documentação e manutenção”, afirma Claudia.

Images:

© PressReader. All rights reserved.