100 FERRAMENTAS PARA TRANSFORMAR O SUE NEGOCIOS

Uma lista com plataformas, softwares e aplicativos que podem tornar a gestão da sua empresa mais eficiente em 2022

TEXTO MAURO SILVEIRA E MÔNICA KATO ILUSTRAÇÃO DAVI AUGUSTO FOTOS FERNANDO GOMES, LUCAS BORI, RAFAEL DABUL, RICARDO BENICHIO E VÍTOR JARDIM

2021-12-02T08:00:00.0000000Z

2021-12-02T08:00:00.0000000Z

Infoglobo Conumicacao e Participacoes S.A.

http://revistapegn.pressreader.com/article/281517934402457

DATA BASE CAPA

O processo de transformação digital das empresas tornou-se uma corrida contra o tempo. Desde o início da pandemia, em março de 2020, grande parte dos empreendedores passou a concentrar seus investimentos na aquisição de novas tecnologias. O objetivo é preparar seu negócio para sobreviver num mundo também em profunda transformação. Mas, para incrementar as vendas e manter margens saudáveis, é preciso saber exatamente quais decisões tomar e no que gastar. “Só vale a pena apostar em tecnologias que impactem a organização, melhorem a margem de contribuição e aumentem o nível de satisfação dos clientes e dos colaboradores”, afirma Heliezer Viana, sócio da área digital da consultoria Mazars. Há uma oferta imensa de plataformas, softwares e aplicativos que facilitam a gestão de todas as áreas do negócio. Alguns oferecem soluções completas, mas são caros. Outros disponibilizam versões gratuitas, porém, não passam por upgrades e atendem somente às necessidades de negócios em estágio inicial. E outros ainda prometem muito mais do que entregam na prática. Por essa razão, definir quais ferramentas são as ideais para cada empresa exige cuidado por parte do empreendedor. A escolha envolve fatores como o porte e o momento que a empresa vem atravessando, a agilidade de atendimento do suporte técnico, as mudanças no comportamento do cliente, as características específicas do setor e, claro, os ganhos que a tecnologia proporcionará. “Errar nesse momento sairá muito caro para o empreendedor”, afirma Fernando Meirelles, professor do Centro de Tecnologia de Informação Aplicada da Fundação Getulio Vargas. “Não compre nada novo sem conversar com concorrentes que já estão usando a ferramenta que deseja adquirir. Existe uma boa vontade por parte de todos em explicar como funcionam e quais as vantagens e as desvantagens de cada uma.” A transformação digital não é um processo que tem começo, meio e fim. Deve ser considerada uma despesa presente no orçamento das empresas ao longo dos anos. Estudos da FGV, segundo Meirelles, mostram que a média de gastos com tecnologia deve girar em torno de 8% do faturamento. “Quando a organização atinge um determinado patamar, é preciso continuar investindo para mantê-lo. Caso contrário, o negócio regredirá”, diz. Eder Max, consultor de negócios do Sebrae, lembra que o preço de não investir em tecnologia tende a sair mais alto do que o de apostar em novas tecnologias que darão um novo impulso ao negócio. “Qual o custo de manter vários funcionários fazendo uma atividade repetitiva que leva uma hora, em vez de ter uma ferramenta que resolve tudo em dois minutos e possibilita realocar o pessoal para cuidar de questões estratégicas?”, questiona. “Ou receber uma multa por não ter adquirido uma tecnologia para aumentar o nível de segurança e atender às novas exigências da Lei Geral de Proteção de Dados? Sai mais caro não digitalizar a empresa.” Nas próximas páginas, você encontrará uma relação de 100 ferramentas digitais que podem tornar a gestão do negócio mais simples, ágil e eficiente em 2022. Num ano que promete ser tão complexo e desafiador, essas plataformas podem representar seu grande diferencial competitivo. ACCOUNTFY Foi desenvolvido para ajudar os diretores financeiros nas atividades de controladoria, planejamento e tesouraria. A fintech se baseia nos dados contábeis das empresas para gerar relatórios gerenciais em poucos segundos por meio de um algoritmo próprio. Balancetes, por exemplo, transformam-se em demonstrações financeiras e estimativas de fluxo de caixa. Dessa forma, os gestores não perdem tempo elaborando planilhas e podem voltar sua atenção para a análise de atas contábeis e fazer projeções. Entre os usuários estão companhias como Bauducco, Grupo Fleury e Eletromidia. CONTA AZUL Oferece um software de contabilidade digital na nuvem que já foi adotado por mais de 100 mil empresas de pequeno e médio portes no Brasil. O sistema centraliza e mantém todas as informações em um único lugar, o que facilita o dia a dia do empreendedor. Os contadores, por sua vez, utilizam a plataforma para gerenciar as obrigações de seus clientes e fazer a gestão de forma mais simplificada. A startup já emitiu mais de R$ 6,5 milhões em boletos e R$ 24 bilhões em notas fiscais. Os planos para empresas partem de R$ 99,90 mensais. CONTABILIZEI A fintech disponibiliza serviços de contabilidade em sua plataforma. Todo o processo de abertura da empresa é online e gratuito. Depois, é possível emitir notas fiscais, importar extratos mensais e tirar dúvidas com os profissionais especializados, com planos a partir de R$ 96 mensais. A Contabilizei ainda calcula guias de impostos e folhas de pagamento, elabora balanços financeiros e faz o acompanhamento de todas as obrigações financeiras de seus clientes com o governo. A economia mensal pode chegar a 80% quando comparada aos gastos com escritórios tradicionais, segundo a empresa. MONEYWISE Com mais de 500 mil downloads, o aplicativo permite fazer gerenciamento financeiro e controle do fluxo de caixa. A partir de uma interface simples, o usuário pode adicionar os gastos e marcar as transações com etiquetas. É possível cadastrar todas as despesas do dia a dia e transformá-las em relatórios e gráficos organizados em função do tempo ou do tipo de gasto. A plataforma, que pode ser visualizada por dia, semana, mês ou ano, protege os dados com uma senha e oferece a opção de salvá-los no cartão de memória do smartphone. Disponível para Android e gratuito. OMIE Sistema de gestão integrada (ERP) na nuvem voltado para pequenas e médias empresas que permite o controle do negócio 100% online. Entre as soluções oferecidas estão gestão financeira, emissão de boletos e de notas fiscais, módulo de CRM com análise de metas e controle de vendas, gestão de oportunidades e controle de estoque e compras. A Omie também disponibiliza cursos online de temas como finanças pessoais e gestão de crise e marketing. O pacote para empresas que faturam até R$ 180 mil por ano sai por R$ 179 mensais. Aquelas que são enquadradas como lucro real ou presumido podem fazer assinaturas a partir de R$ 539 por mês. PREÇO CERTO Auxilia o empreendedor a definir o melhor preço para seus produtos e serviços, planejar promoções, calcular comissões para a área de vendas e analisar indicadores financeiros para a tomada de decisões e o planejamento. Segundo a startup, os clientes conseguem reduzir em até 15 vezes a necessidade de capital de giro e obter um aumento do lucro líquido que pode chegar a 2.500%, dependendo do caso. O modelo possibilita que a empresa integre dados do seu sistema de gestão, planilhas e até e-commerce, gerando assim informações mais precisas. PREDIFY O software em nuvem utiliza inteligência artificial, machine learning e big data analytics para que empreendedores controlem seus gastos, reúnam os dados necessários para precificar produtos e serviços e façam projeções de vendas com mais segurança. Funciona integrado a vários sistemas de gestão (ERPs), como SAP Business One, Omie, Nibo e Bling. A mensalidade do Plano Small, o mais simples, é de R$ 99,90, para dois usuários. O Business sai por R$ 349,90, para dez usuários. Já o Enterprise é 100% customizável, e o preço varia de acordo com a necessidade de cada empresa. PRICEFY A plataforma desenvolvida especialmente para empresas do varejo promete aumentar as vendas por meio da execução da estratégia de preços das lojas e da automação das campanhas nas mídias online e offline. O objetivo é que todas as lojas de uma rede executem com uniformidade as estratégias de comunicação e de visual de merchandising, aumentando em até 15% o faturamento dos produtos que entram em promoção – de acordo com a empresa – e reduzindo as chances de preços errados nas gôndolas e de comunicação de ofertas fora do prazo. QUICKBOOKS O software de gestão financeira desenvolvido pela norteamericana Intuit é usado por mais de 7 milhões de clientes no mundo. No Brasil, a ferramenta é voltada sobretudo a pequenas empresas do setor de serviços e contadores. O sistema automatiza funções como controle de contas a pagar e a receber, acompanhamento de horas trabalhadas e emissão de relatórios de desempenho, que ajudam os empresários a enxergar os detalhes do negócio em tempo real. O objetivo é eliminar tarefas manuais e repetitivas. O Plano Plus, voltado para empresas de pequeno e médio portes, custa R$ 90,30 por mês. SAP BUSINESS ONE O sistema de gestão SAP Business One foi idealizado para facilitar aspectos da gestão de pequenos e médios negócios, como compras, estoque, vendas, contabilidade, finanças, gerenciamento de projetos e relacionamento com clientes. O sistema ajuda o usuário a ter uma visão geral da organização e a tomar decisões estratégicas com base em informações geradas em tempo real. Como funciona na nuvem, sua instalação pode ser feita em até uma semana, dependendo do negócio. COBRE FÁCIL É um sistema de cobrança, recebimento e emissão de boletos, carnês e notas fiscais eletrônicas de forma automatizada. São dois planos apenas. O básico não tem mensalidade, mas cobra R$ 3,50 por emissão de boleto pago e taxa de 3,99% no cartão de crédito. Já no PRO, que custa R$ 99, há redução para R$ 49,90 nos seis primeiros meses. O valor por boleto cai para R$ 1,90, e a taxa de cartão é de 1,97%. As parcelas podem ser pagas em dez dias, e não há limite para emissão de notas fiscais. A Cobre Fácil gera estatísticas como taxas de inadimplência e emite alertas para contratos que estão próximos do vencimento. GYRA+ Ao se integrar às principais plataformas de pagamento, e-commerce e ERPs do Brasil, a fintech Gyra+ consegue, por meio de machine learning, fazer uma avaliação completa do perfil de clientes corporativos em busca de crédito. O empreendedor leva cerca de cinco minutos para concluir o seu cadastro e solicitar o empréstimo, segundo a empresa. Não é preciso oferecer imóvel ou veículo como garantia. Em menos de 24 horas a Gyra+ realiza análise, aprovação e concessão de crédito para micro e pequenas empresas. IUGU A finalidade da Iugu é simplificar as operações financeiras das empresas oferecendo serviços de cobrança e recebimento de pagamentos e automação da gestão. De acordo com a fintech, seus clientes tiveram uma redução de 40% para 3% do nível de inadimplência. O plano mais simples custa R$ 49,90 por mês e foi desenhado para empresas com faturamento de até R$ 50 mil mensais. Disponibiliza vários métodos de pagamento, como cartão de crédito, boleto e Pix, faz a elaboração de relatórios para acompanhamento de fluxo de caixa e tem suporte técnico por e-mail. Os primeiros 60 dias são gratuitos. MERCADO PAGO Faz a intermediação dos pagamentos entre as adquirentes, empresas responsáveis pelas transações financeiras envolvendo cartão de crédito ou débito, as várias bandeiras e os bancos. Embora criado, inicialmente, para facilitar as transações dentro do marketplace Mercado Livre e promover maior segurança, atende também a demandas de lojas online. Seus algoritmos direcionam as transações e aumentam as taxas de aprovação. Quando um pagamento não é aceito por uma adquirente, o Mercado Pago inicia uma nova consulta em outra empresa na tentativa de obter uma melhor aprovação. PAGSEGURO Disponibiliza aos seus usuários as tradicionais máquinas de cartão. A Minizinha sai por 12 parcelas de R$ 4,90, recebe pagamentos no débito e no crédito em até 18 vezes e envia o comprovante por SMS gratuitamente ao consumidor. Já a Moderninha X pode ser adquirida por 12 parcelas de R$ 12,90 e aceita mais de 20 formas de pagamento. Conta com o app PagVendas, que ajuda o empreendedor a controlar as vendas e o estoque, aceita pagamentos em QR Code e fornece o histórico de compras. PAYPAL Para as empresas, funciona como uma plataforma comercial, com soluções que vão do gerenciamento de riscos ao controle de despesas por meio de relatórios de atividades. Permite uso de dados dos clientes para estimular novas compras. Por meio de uma parceria com a Captalys, possibilita ao empreendedor usar seu histórico de vendas como forma de obtenção de crédito para pagamento futuro. Uma das exigências para aprovação é ter histórico de transações mínimo de R$ 5.000 durante os últimos seis meses. PICPAY Recebe pagamentos à distância, monitora as transações em tempo real e faz os depósitos na conta da organização. O empreendedor tem à disposição tanto a versão para desktop como o aplicativo para celular e pode oferecer a opção de parcelamento das compras aos seus clientes. Os consumidores pagar pelo app do celular. O PicPay Empresas oferece ainda pagamento por QR Code. É preciso acessar o aplicativo, tocar em “receber” e apresentar o código para o cliente escanear com sua câmera. VINDI A plataforma da fintech de meios de pagamento tem como carro-chefe os modelos de cobranças recorrentes feitas por meio de assinaturas, planos e mensalidades. É ideal, por exemplo, para academias de ginástica, plataformas de streaming, serviços de internet e pacotes de TV via cabo. Basta cadastrar o cartão de crédito do cliente e a Vindi faz todos os meses a cobrança e o depósito na conta da empresa que presta o serviço. É possível ainda emitir boletos recorrentes e incluir a cobrança de multas e juros. Todas as sextas-feiras, a empreendedora Thaís Ramos, 36 anos, reserva uma hora em sua agenda para fazer uma live no Instagram e conversar com as clientes da De Benguela. Essa foi uma das formas que ela encontrou para impedir que as vendas de texturas de cabelo crespo natural para alongamentos e apliques de sua loja online não caíssem durante a pandemia. Nos encontros virtuais, as participantes tiram dúvidas sobre como cuidar dos produtos e ficam sabendo das novidades da marca. Para aquelas que desejam informações mais detalhadas, como tutoriais que ensinam a fazer penteados com rabo de cavalo ou usar uma peruca corretamente, basta acompanhar os vídeos que ela publica no YouTube. “Além de informações técnicas, produzo muito conteúdo educativo e cultural que desperta o interesse de todas”, diz Ramos. “Não vendemos produtos durante as lives, mas no final as pessoas são direcionadas para nosso site caso queiram comprar.” A comunicação ágil e constante deu resultado. A empresa fundada em 2016 faturou no ano passado R$ 2 milhões e espera alcançar R$ 5 milhões em 2021. A De Benguela está sediada em Curitiba (PR) e tem clientes em vários estados. Os produtos são enviados pelos Correios. No início, Ramos achou a plataforma confusa e burocrática, especialmente quando precisava falar com alguém. Mas valeu a pena insistir. A integração com o site é simples e há outras vantagens, como a impressão automática das etiquetas já com o endereço do cliente e uma política de descontos prevista em contrato. “Eles coletam as embalagens mais de uma vez ao dia e nos proporcionam agilidade no atendimento”, afirma a empresária. “Os episódios de atrasos ou extravios são esporádicos.” Há dois anos, Ramos passou a usar o aplicativo Slack para se comunicar com a equipe de 15 funcionários, e o Trello para acompanhar a evolução do trabalho. O site da empresa está hospedado na plataforma WooCommerce, que fornece informações valiosas sobre o comportamento do consumidor, como compras realizadas e tentativas não concluídas. O custo mensal é de R$ 250. Um dos pontos positivos é que o servidor se integra facilmente à Conta Azul, ferramenta financeira usada por Ramos para emitir notas fiscais e fazer o controle do estoque, dos pagamentos e do fluxo de caixa. “Todas essas ferramentas facilitam tanto o dia a dia que eu não saberia mais como trabalhar sem elas”, diz. CAJU Por meio da plataforma da startup, a área de recursos humanos pode cadastrar os funcionários e fazer a gestão da cesta de benefícios da empresa. É possível incluir nos pacotes os vales-alimentação e valesrefeição, transporte por meio de apps como Uber e 99, plano de saúde, premiações e até despesas de home office, como provedor de internet, compra de móveis para escritório e conserto de computadores. Os colaboradores recebem um cartão com bandeira Visa para usar os benefícios e controlam tudo por meio de um aplicativo. O Caju é gratuito para empresas. Sua receita vem de uma taxa que é repassada pela operadora dos cartões. EXPENSEON Busca simplificar e desburocratizar a gestão de reembolso de despesas corporativas. O sistema gera uma série de relatórios de gastos em tempo real e acaba com a necessidade do controle de notas fiscais e comprovantes de papel. Os documentos podem ser digitalizados pelo colaborador e enviados por celular para a área responsável. O reembolso é calculado na própria plataforma. Com a solução, é possível ter um panorama dos gastos, identificar custos maiores, ver quanto cada colaborador vem gastando mensalmente e avaliar oportunidades para economizar. FLASH O modelo de carteira virtual para benefícios flexíveis é ideal para profissionais da área de recursos humanos que precisam configurar opções de pacotes e categorias, como vale-refeição, vale-alimentação, vale-transporte, plano de saúde e bolsas de estudo. Os empregados recebem um cartão com bandeira Mastercard e podem usálo em mais de 2 milhões de estabelecimentos. Também aproveitam descontos em parceiros como Carrefour, Deezer, Liv Up, Spotify, Uber e Uber Eats. Por meio do aplicativo, é possível checar saldos para cada categoria e movê-los de acordo com a necessidade. FOLHACERTA O aplicativo ajuda empresas na gestão de equipes e de rotinas trabalhistas. Auxilia no controle rigoroso de horas extras, banco de horas, entrada e saída do trabalho, ausências e cobertura de escalas, entre outras funções. A plataforma gera informações em tempo real para que a área de recursos humanos possa agir rapidamente sempre que houver ocorrências importantes. O FolhaCerta pode ser integrado a relógios eletrônicos de ponto e exporta os dados para sistemas como os da SAP, da Totvs e da Oracle. GUPY A plataforma de inteligência artificial promete tornar mais ágeis os processos de recrutamento, seleção e admissão de candidatos. Todas as etapas – como aplicação de testes e entrevistas – podem acontecer online, caso a empresa solicite. O software identifica os melhores talentos com base em características como organização, flexibilidade e foco em resultados. A startup diz que a solução atrai três vezes mais pessoas, se comparada a um processo tradicional, e reduz em 30% o tempo médio da seleção. HRESTART Com um processo digital e customizado para o cliente – que pode incluir vídeos, podcasts, notícias e pesquisas –, transforma a jornada de contratação e onboarding de novos profissionais em uma experiência mais amigável, leve e intuitiva. Entre as facilidades estão a conferência automática de documentos e a escolha prévia de benefícios pelo novo contratado. De acordo com a startup, o tempo de contratação pode ser reduzido em até 80%, e o método melhora o engajamento. KENOBY O software de recrutamento e seleção utiliza inteligência artificial para encontrar em menos tempo os melhores profissionais para cada empresa. Toda a gestão dos processos é centralizada, e o objetivo é aumentar as possibilidades de acerto. O sistema integra as ferramentas de recursos humanos das empresas e a publicação das vagas abertas em portais de emprego, e inclui os gestores na seleção. O Kenoby faz ainda o mapeamento comportamental dos candidatos com base em 12 competências e aponta os que mais se identificam com os valores da organização. PIN PEOPLE Tem como foco melhorar a experiência da relação entre a empresa e seus funcionários desde o processo seletivo, aumentando atração, engajamento e retenção de talentos. A ferramenta usa inteligência artificial, people analytics e psicologia, e permite a aplicação de pesquisas para avaliar a vivência do colaborador e a realização de entrevistas de desligamento para redução de turnover. De acordo com a startup, com o uso da solução, os candidatos têm 38% mais probabilidade de aceitar a oferta de emprego, e duas vezes mais chance de indicar a empresa a novos candidatos. PONTOMAIS O sistema disponibiliza várias formas de registro, como reconhecimento facial e o uso de QR Codes, gera relatórios gerenciais com dados sobre absenteísmo e permite que os gestores aprovem solicitações de ajustes e abonos. O valor dos planos varia de acordo com o número de funcionários e de recursos. O mais em conta sai por R$ 59 mensais e o mais caro, por R$ 425. PULSES Monitora o clima organizacional, o nível de engajamento e a performance dos colaboradores por meio de um sistema que acompanha a opinião dos mais de 550 mil funcionários cadastrados com perguntas enviadas semanalmente. A partir dos dados, os líderes podem checar, em tempo real, indicadores como engajamento, feedback, reconhecimento, carreira e bem-estar. Os dashboards podem ser compartilhados com os participantes para maior transparência. Na carteira da Pulses estão empresas como iFood, Energisa, Dasa, Grupo Pão de Açúcar, Bayer, C&A e Lojas Americanas. São 600 ao todo. ZENKLUB A plataforma de terapia online se propõe a resolver entraves comuns à prática: custo, tempo de deslocamento e constrangimento em buscar ajuda. A empresa contrata o serviço, e o empregado faz o cadastro, informa o problema que gostaria de trabalhar nas consultas e escolhe o profissional em uma lista com mais de 10 mil coaches, terapeutas e psicólogos. O Zenklub disponibiliza também treinamentos e programas de desenvolvimento para as lideranças com insights para manter a saúde mental dos colaboradores e ter um time mais produtivo. A Dryve, startup especializada na compra e venda online de veículos usados, nasceu em plena pandemia. A operação teve início em janeiro de 2020, quando o novo coronavírus começava a se espalhar pelo mundo. Os sócios, Pedro Gandra, 35 anos, Cesar Pizolato, 30 anos, Gustavo Almeida, 35 anos, e Daniel Abbud, 38 anos, decidiram mudar a estratégia. Em vez de ter lojas físicas localizadas em shoppings e avenidas de grandes cidades, desenvolveram um superapp que hoje veicula mais de 1,5 milhão de anúncios de carros e oferece serviços adicionais, como cadastro e análise de crédito, contratação de seguros, compra de garantia estendida e parcelamento de débitos. A intermediação das transações é feita por 2.800 agentes autorizados distribuídos por todos os estados. O esquema se tornou mais ágil, não tem custo com montagem de estrutura de lojas e reduziu o número previsto de funcionários pela metade. Hoje, são 120. Com tantos representantes espalhados pelo país, foi preciso investir em tecnologia para facilitar a comunicação e a gestão do time. “Não há uma área da empresa que não utilize ferramentas digitais nas atividades diárias”, diz Gandra. “Nossa regra é não acreditar em informações que não estejam no nosso sistema.” A startup adota uma estrutura de ERP Omie para gestão de contas a pagar e receber, administração da folha de pagamento, acompanhamento das despesas e cobranças. Dois dos fatores determinantes para sua escolha foram a interface simples e a fácil integração com o sistema da empresa. Gandra usa ainda a ferramenta de business inteligence Microsoft Power BI para análise de dados e acompanhamento do desempenho dos operadores internos, o Trello para gestão de projetos, o RD Station para ações de marketing e o Microsoft Teams para se conectar com os agentes. “Cada ferramenta é escolhida de acordo com o momento da empresa”, afirma. “No futuro, com o crescimento do negócio, provavelmente será preciso fazer upgrades para versões mais completas ou adquirir softwares que atendam a novas necessidades.” A Dryve comercializou mais de mil veículos no seu primeiro ano de atividade e espera encerrar 2021 com 12 mil vendas finalizadas. O número de agentes também deve crescer, chegando a 5.000. Até agora foram processados R$ 200 milhões de transações por meio de sua plataforma.

pt-br