Lacuna turística

2022-05-05T07:00:00.0000000Z

2022-05-05T07:00:00.0000000Z

Infoglobo Conumicacao e Participacoes S.A.

http://revistapegn.pressreader.com/article/281883006921349

DATA BASE - DECOLAGEM AUTORIZADA

Oficialmente instituída em 2018, a agência de turismo Sou+Carioca nasceu com o intuito de promover passeios no Rio de Janeiro que fogem do óbvio, geralmente a pé. Cristo Redentor? Pão de Açúcar? Esqueça. No portfólio da empresa só constam destinos como a chamada Pequena África, região da zona portuária que foi moldada pela cultura negra. Outro passeio – são quase 150 no catálogo – resgata a história dos doces da cidade e termina nas confeitarias mais conhecidas do centro, como Cavé e Colombo. “As outras agências de turismo da cidade não olham para os moradores do Rio de Janeiro como potenciais turistas”, diz uma das fundadoras, a paranaense Gabriela Palma, 37 anos. “Preencher essa lacuna é uma forma de resolver um problema crônico do setor, a sazonalidade. E ainda contribui com a autoestima da cidade, pois só valorizamos o que conhecemos.” Com ela e a fluminense Renata Vaz, 39 anos, no comando, a Sou+Carioca promove quase 40 passeios por mês, que custam a partir de R$ 35 por pessoa. São comandados por cerca de 20 guias turísticos autônomos. Em 2019, a agência faturou R$ 80 mil. Em 2020 e 2021, por motivos óbvios, as receitas diminuíram mais de 90%. Em boa parte desse período, a empresa organizou somente passeios online – em troca de contribuições espontâneas – com a ajuda de ferramentas como o Google Arts & Culture, que permite visitar museus de maneira virtual. “Nossa agência foi uma das poucas que não quebraram”, consola-se Palma. “Desde julho do ano passado, quando voltamos a promover só passeios presenciais, a procura não para de crescer. O turismo voltou com força.” Os turistas estrangeiros também estão no radar. Para atraí-los, a Sou+Carioca recorre ao Airbnb, por meio do qual oferta os passeios que esse público costuma preferir – como o que vai à Ilha da Gigoia, na região da Barra da Tijuca. “Qualquer trampolim que ajude a ampliar nossa base de clientes é bem-vinda”, observa Palma.

pt-br