Copo meio cheio

2022-05-05T07:00:00.0000000Z

2022-05-05T07:00:00.0000000Z

Infoglobo Conumicacao e Participacoes S.A.

http://revistapegn.pressreader.com/article/281934546528901

DATA BASE - DECOLAGEM AUTORIZADA

O empreendimento começou em 2017, quando entraram em operação o bar Juramento 202 e sua cervejaria, a Viela, situados em um bairro que não fazia parte do eixo badalado de Belo Horizonte. A cervejaria custou R$ 200 mil. Já o bar, a poucos metros de distância, saiu por R$ 56 mil. Despojado, este começou vendendo chopes a R$ 5 ou R$ 7, dependendo do copo. Condiz com a missão de democratizar o consumo da cerveja artesanal e de aproximá-la dos botecos tradicionais da cidade. “Antes, só os pubs serviam esse tipo de bebida por aqui, e por valores altos. Já os bares tradicionais, que queríamos frequentar, só vendiam cerveja comum”, diz um dos cinco sócios, Rafael Quick, 34 anos. Para expandir o negócio, os donos bateram o martelo em um endereço parado no tempo, o Mercado Novo, no centro de BH. Com certa fama de abandonado, era conhecido por oferecer serviços gráficos, pela feira noturna e a venda de artigos como velas e uniformes. No segundo andar, onde cerca de 40 negociantes resistiam, o grupo inaugurou em 2018 a Distribuidora Goitacazes, uma espécie de filial do bar, e o restaurante Cozinha Tupis, nos quais foram investidos R$ 160 mil. A ambientação e a comunicação visual foram inspiradas no próprio mercado, regra informal acatada pela maioria dos mais de cem estabelecimentos que brotaram desde então no mesmo andar. Sim, o Mercado Novo se converteu em um dos destinos mais descolados da cidade – até o terceiro patamar, antes às moscas, ganhou novas lojas. Os boxes, que custavam por volta de R$ 15 mil, hoje saem por R$ 120 mil. “Foi burrice não termos comprado os nossos”, lamenta Quick, lembrando que a Cozinha Tupis e a Distribuidora Goitacazes ficaram fechados na quarentena por um ano. Nesse período, o grupo acumulou uma dívida de quase R$ 800 mil. Para quitá-la, vai inaugurar mais um negócio em maio. É a pizzaria Forno da Saudade, situada em uma praça que já teve dias melhores. A meta é incluí-la no circuito badalado de BH. “Temos mais dois projetos do tipo engatilhados”, adianta Quick.

pt-br