PMEs podem se beneficiar de redução na conta de luz

Com crescimento significativo, Mercado Livre de Energia atrai pequenas e médias empresas. Solução da ENGIE, E-conomiza facilita ingresso de forma simples e direta

2022-07-28T07:00:00.0000000Z

2022-07-28T07:00:00.0000000Z

Infoglobo Conumicacao e Participacoes S.A.

http://revistapegn.pressreader.com/article/281668258724643

FRONT END | SERVIÇOS

A lcançando a marca de R$ 162 bilhões em 2021, o faturamento do Mercado Livre de Energia – também chamado de Ambiente de Contratação Livre (ACL) – no Brasil cresceu 32,8%, segundo dados da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), e passou a responder por 34% de toda a eletricidade consumida no país, ante 32% em 2020. O aumento se deve, principalmente, ao ingresso de 5.407 unidades consumidoras, alta de 25% em comparação anual. A crescente migração é reflexo da busca de empresas de todos os portes e setores para reduzir a conta de luz. Criado em 1995, o Mercado Livre de Energia permite que vendedores e compradores negociem energia elétrica livremente entre si, em conformidade com a regulamentação do setor. Pioneira no ACL no Brasil, com seu primeiro contrato firmado em 2000, a ENGIE também tem registrado o crescimento da demanda: em 2021, a carteira de clientes livres chegou a 689 empresas, alta de 11% em relação a 2019. O aumento do poder de escolha é uma das maiores vantagens desse ambiente, já que é possível decidir com qual fornecedor trabalhar – diferentemente do mercado tradicional, atendido pelas distribuidoras locais. Para apoiar pequenas e médias empresas interessadas em reduzir despesas com energia elétrica, a ENGIE desenvolveu o E-conomiza, que permite a contratação do fornecimento de forma direta e simples. A solução é dedicada a atender negócios que tenham faturas de energia com valores a partir de R$ 55 mil mensais, total que pode ser alcançado pela soma do consumo de diferentes unidades, como matriz e filiais. É um caminho interessante para que redes, especialmente de comércio e serviços, mudem a forma de comprar energia. “Essa solução foi criada a partir da experiência da ENGIE no atendimento ao mercado brasileiro, adquirida em mais de duas décadas de atuação junto a nossos clientes. Com o E-conomiza, pequenas e médias empresas podem acessar todas as vantagens de comprar energia diretamente de uma geradora, de forma ágil e confiável”, explica Gabriel Mann, diretor de comercialização de energia da ENGIE. Fácil e sustentável A migração para o ACL é facilitada, sem burocracia e com o apoio de consultores especializados da ENGIE. Além disso, é possível contratar energia renovável, gerada em usinas hidrelétricas, eólicas, solares ou a biomassa, agregando sustentabilidade aos negócios. De acordo com a Abraceel, em 2021, 48% da produção elétrica de fontes renováveis foi absorvida no ambiente livre, impulsionando a transição energética e a economia de baixo carbono. Com foco em PMEs, o E-conomiza permite que a mudança seja realizada por empresas que não mantêm uma equipe dedicada à gestão de energia e contratos. “Para avançar, é preciso que as empresas entendam melhor as vantagens que essa modalidade de contratação oferece: fornecimento de energia renovável, amplo poder de escolha, maior competitividade, flexibilidade na negociação e previsibilidade de custos”, destaca Mann. Essa combinação de fatores, que inclui a redução de custos, o acesso ao Mercado Livre com energia renovável e o respaldo de especialistas experientes, faz com que a solução se mostre especialmente interessante para pequenas indústrias, shoppings, hotéis e redes de varejo.

pt-br