CONJUNÇÃO POSITIVA

2022-07-28T07:00:00.0000000Z

2022-07-28T07:00:00.0000000Z

Infoglobo Conumicacao e Participacoes S.A.

http://revistapegn.pressreader.com/article/282033330944803

DATA BASE | FRANQUEADO 2.0

Vender sempre foi o que Michel Vanderlei, 42 anos, fez de melhor. Ele veio de uma família humilde. Aos 12 anos, perdeu o pai e passou a ajudar a mãe a comercializar doces e churrasquinho. Depois, trabalhou como educador social em abrigo e deu aulas de dança de salão. Mais tarde, voltou para a área de vendas, atuando com colchões massageadores. Em 2019, decidiu empreender e focou em franquias. Pesquisando, interessou-se pela Brazil Health, que oferece planos de saúde e odontológico e seguro de vida. Quando começou a pandemia, em março de 2020, ele e a esposa e sócia, Evelyn Costa Coutinho, 30 anos, estavam prestes a fechar contrato de aluguel de um escritório e já tinham escolhido móveis e equipamentos. Cancelaram os planos iniciais e seguiram com a ideia de empreender. Mas em home office. “Tivemos menos custos, e o esquema online não prejudicou absolutamente em nada o treinamento, a assistência e o suporte que tivemos”, conta Vanderlei. O casal passou praticamente um ano se aprofundando e fazendo treinamentos, inclusive o da Susep (órgão regulador da área de seguros que fornece certificação para atuar no segmento). “Iniciamos as atividades em junho do ano passado. Em poucos meses, o faturamento, que, para aquele momento, deveria girar em torno de R$ 6 mil mensais, era de R$ 24 mil mensais. Ficamos em terceiro lugar como maior faturamento das franquias da marca no Brasil”, comemora o empreendedor. Ele atribui o sucesso ao empenho e à dedicação, mas também a uma conjunção de fatores. “Com a pandemia, as pessoas ficaram desesperadas para terem cobertura de seguro saúde, odontológico e de vida. Fomos beneficiados por esse momento”, afirma. Mas acrescenta: “Ter êxito nas vendas não foi a única recompensa. Cada pessoa, cada família que conseguíamos ajudar encontrando um produto adequado era uma vitória”. Assim, Vanderlei, vendedor nato, e Coutinho, que tem formação em psicologia e pós-graduação em administração de empresas, levantaram o negócio que, por ser em home office, se adequa aos três endereços onde dividem seu tempo: em Praia Grande (SP), São Luís (MA) e São Paulo (SP). O desejo para o próximo ano é trazer mais gente para trabalhar com eles. “O modelo remoto vai possibilitar que a gente treine e empregue jovens em situação de risco. Hoje, contamos com três pessoas na equipe. Queremos ter mais uns 30 parceiros”, projeta Vanderlei.

pt-br